quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Desejo de Vencer






Criar um negócio próprio não tem nada de especial. Com certeza você já viu dezenas ou centenas de colegas ou conhecidos seus a abrir um negócio e a terem sucesso. Claro que também há os que têm insucesso. Mas seja razoável e faça as contas de quantos foram os negócios que deram certos e quantos foram os que deram errado?

É normal que quem quer começar um negócio tenha receio e ao ver um insucesso pense que o mesmo vai acontecer quando criar o seu negócio. Nada mais errado!
O seu negócio até pode fracassar, mas lembre-se que é de insucesso em insucesso que chegará ao sucesso final.

Arisque abrir o seu negócio, hoje existem milhares de negócios que pode abrir com muito pouco dinheiro, neste blog encontra algumas ideias de negócio que pode abrir com pouco dinheiro, mas se pesquisar no Google encontrará milhares de ideias de negócio à sua medida.
Escolha uma na área que mais gostar de trabalhar. Isso é muito importante. Se gostar do que faz as hipóteses de sucesso no negócio são muito maiores.
A partir dessa escolha abra o seu negócio, aplique-se em fazer tudo certo. Não se deixe levar pelo que os outros empreendedores fazem nos seus negócios. Este é O SEU NEGÓCIO e como tal bem ou mal terá de ser você a gerir-lo.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Coragem é ir em frente apesar do medo






Coragem é ir em frente apesar do medo…  
É não ter medo de deixar a nossa luz brilhar.
A persistência é a vitamina do triunfo. 
Precisamos persistir em nossos sonhos e objectivos.
O optimista vê a oportunidade na dificuldade.
O pessimista vê a dificuldade na oportunidade...
Talvez você já tenha passado por situações onde acreditava não haver mais solução...
Onde a esperança havia desaparecido.
Somente Deus pode nos dar toda a força necessária de que precisamos para vencer as dificuldades da vida.
Para remover com sucesso as pedras do caminho...
Muitas vezes os problemas da vida são sinais de que chegou a hora de o guerreiro iniciar uma nova batalha.

Existe uma vitalidade, uma força de vida, uma energia, um despertar que é traduzido em ação através de você, e porque só existe um de você em todos os tempos, essa expressão é única”. (Martha Graham)

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Sair da nossa zona de conforto






Ganhamos força, coragem e confiança a cada experiência em que verdadeiramente paramos para enfrentar o medo.

                                                                                              Eleanor Roosevelt

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Ser resiliente...






Resiliência vem do latim, resilio, que significa ressaltar. O termo foi adoptado pelas ciências sociais para caracterizar as pessoas que conseguem resistir e ultrapassar as adversidades, apesar de estarem expostas a ambientes adversos. Ser resiliente é “desenvolver as capacidades físicas ou fisiológicas conducentes a determinados níveis de endurance física ou psicológica e até a uma certa imunidade que lhe possibilite a aquisição de novas competências de acção, que lhe permita adaptar-se melhor a  uma realidade cada vez mais imprevisível e agir adequada e rapidamente sobre ela resolvendo os problemas que esta lhe coloca”


Rutter, um dos autores que mais estudou a resiliência, afirma que ela se caracteriza por um conjunto de processos sociais e intrapsíquicos que possibilitam ter uma vida saudável num meio adverso. Esses processos desenvolvem-se através do tempo e resultam da influência da família, dos suportes sociais e da educação. 

Os autores que têm estudado a resiliência concordam com a existência das seguintes características: é uma capacidade que põe em jogo mecanismos de protecção; é uma capacidade que permite enfrentar positivamente as adversidades e os factores indutores de stress; faz parte de um processo evolutivo que pode ser promovido em todas as fases do ciclo vital. 




segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Lidere com Gratidão







"Quem acolhe um benefício com gratidão, paga a primeira prestação da sua dívida." (Sêneca)










"As pessoas felizes lembram o passado com gratidão, alegram-se com o presente e encaram o futuro sem medo." (Epicuro)











"A gratidão é a virtude das almas nobres." (Esopo)











"A gratidão é a memória do coração." (Antístenes)


sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Tranquilidade





“Jogaram uma pedra
na tranquilidade do lago.
O lago comeu-a.
Sorriu ondulações.
Voltou a ficar tranquilo”.

Hermógenes



sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Paciência é o tempo do amor




"Paciência e perseverança têm o efeito mágico de fazer as dificuldades desaparecerem e os obstáculos sumirem."

John Quincy Adams


domingo, 5 de agosto de 2012

Presente



Dois homens, ambos gravemente doentes, estavam no mesmo quarto de hospital. Um deles podia sentar-se na sua cama durante uma hora, todas as  tardes, para que os fluidos circulassem nos seus pulmões.

A sua cama estava junto da única janela do quarto.

O outro homem tinha de ficar sempre deitado de costas.

Os homens conversavam horas a fio. Falavam das suas mulheres, famílias, das suas casas, dos seus empregos, dos seus aeromodelos, onde tinham passado as férias...

E todas as tardes, quando o homem da cama perto da janela se sentava,passava o tempo a descrever ao seu companheiro de quarto todas as coisas que conseguia ver do lado de fora da janela.

O homem da cama do lado começou a viver à espera desses períodos de uma hora, em que o seu mundo era alargado e animado por toda a actividade e cor do mundo do lado de fora da janela.

A janela dava para um parque com um lindo lago. Patos e cisnes, chapinhavam na água enquanto as crianças brincavam com os seus barquinhos. Jovens namorados caminhavam de braços dados por
entre as flores de todas as cores do arco-íris. Árvores velhas e enormes acariciavam a paisagem e uma tênue vista da silhueta da cidade podia ser vislumbrada no horizonte.

Enquanto o homem da cama perto da janela descrevia isto tudo com extraordinário pormenor, o homem no outro lado do quarto fechava os seus olhos e imaginava as pitorescas cenas.

Um dia, o homem perto da janela descreveu um desfile que ia a passar:
Embora o outro homem não conseguisse ouvir a banda, conseguia vê-la e ouvi-la na sua mente, enquanto o outro senhor a retratava através de palavras bastante descritivas.

Dias e semanas passaram. Uma manhã,a enfermeira chegou ao quarto trazendo água para os seus banhos, e encontrou o corpo sem vida, o homem perto da janela, que tinha falecido calmamente enquanto dormia.

Ela ficou muito triste e chamou os funcionários do hospital para que levassem o corpo.

Logo que lhe pareceu apropriado, o outro homem perguntou se podia ser colocado na cama perto da janela. A enfermeira disse logo que sim e fez a troca.

Depois de se certificar de que o homem estava bem instalado, a enfermeira  deixou o quarto.

Lentamente, e cheio de dores, o homem ergueu-se, apoiado no cotovelo, para contemplar o mundo lá fora. Fez um grande esforço e lentamente olhou para o lado de fora da janela que dava, afinal, para uma parede de tijolo!

O homem perguntou à enfermeira o que teria feito com que o seu falecido companheiro de quarto lhe tivesse descrito coisas tão maravilhosas do lado de fora da janela.

A enfermeira respondeu que o homem era cego e nem sequer conseguia ver a parede. Talvez quisesse apenas dar-lhe coragem...

Moral da História:

Há uma felicidade tremenda em fazer os outros felizes, apesar dos nossos próprios problemas.

A dor partilhada é metade da tristeza, mas a felicidade, quando partilhada, é dobrada.

Se te queres sentir rico, conta todas as coisas que tens que o dinheiro não pode comprar.

"O dia de hoje é uma dádiva, por isso é que o chamam de presente."




segunda-feira, 30 de julho de 2012

Como encontrar o seu Emprego de Sonho?


vídeo: Como encontrar o seu Emprego de Sonho?


1- Em que situações se sentiu realmente feliz?

2 - Quais são os seus talentos naturais?

3- Gosta de trabalhar com que tipo de pessoas?

4 - Gosta de trabalhar em que determinados contextos, ambientes?

5 - Tem de haver alguma causa ou missão envolvida?

6 - Quanto dinheiro se imagina a ganhar com o seu emprego?

7 - Quantas horas se imagina a trabalhar no seu emprego?

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Parabéns NIZIN! - 1 ano



NIZIN está de Parabéns!! Hoje faz 1 ano de existência.

A ti que nos segues, agradecemos a tua visita quer nos blogues, quer nas redes sociais do NIZIN World.

Esperamos contar a merecer a tua visita, bem como os teus comentários.


Obrigado,
Sandra Mendes


terça-feira, 8 de maio de 2012

O Dilema


A Ponte
História de um homem que teve que escolher entre a vida do filho e a de centenas de pessoas dentro de um comboio... o filme representa o amor incomparável de Deus por nós... cenas do filme "most" (ponte em Tchecko)... para adiquirir uma copia do filme original visite www.Mostthemovie.com.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Dê exemplos... bons exemplos...




Uma história lindíssima sobre generosidade, justiça e o bom exemplo. 
Pequenos gestos fazem toda a diferença, não dê conselhos, dê exemplos.

quarta-feira, 2 de maio de 2012

NIZIN no IGNITE PORTUGAL: 1 de Maio






O NIZIN esteve presente na banquinha com o tema "Abordagens ao Mercado de Trabalho" no 22º IGNITE Portugal Trabalhador, que teve lugar no LX Factory ontem à noite.

Obrigado à organização do IGNITE PORTUGAL e da SAPANA. Foi uma excelente oportunidade para dar um contributo para quem está desempregado. Esperamos que esta
seja a primeira iniciativa de muitas futuras.

Obrigado ainda aos meus queridos colegas que contribuíram com a sua experiência nesta banca: Pedro Silva e Rita Menezes

Estamos todos de parabéns! Prova superada com excelência :)

Informamos ainda que tal como combinado, todos aqueles que se inscreveram na nossa banquinha irão receber brevemente, via e-mail, toda a informação apresentada em versão papel nesta iniciativa. Para mais informações ou esclarecimentos, estamos disponíveis através nizin11@gmail.com

 










Tu és Mais Forte... Basta acreditar

terça-feira, 24 de abril de 2012

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Fazer o bem e não olhar a quem!




Uma história sobre fazer sempre o seu melhor!

Há funcionários que por acharem que ganham mal, trabalham mal. Mas há outros que mesmo ganhando pouco fazem muito e fazem bem feito. Não pelo salário que ganham, mas pelo prazer e porque querem crescer. Para esses sempre aparecem oportunidades, pois sempre alguém estará observando.

Esta história correu o mundo: Numa noite tempestuosa, há muitos anos atrás, um senhor de certa idade e sua esposa entraram no saguão de um pequeno hotel na Filadélfia. O homem levou a esposa até uma poltrona, e depois se dirigiu à recepção. Por favor, vocês teriam um lugar para nós?

Ele disse: “Todos os grandes hotéis da cidade estão cheios”. O funcionário explicou que, como se realizavam três convenções na cidade, não havia nenhum quarto disponível em nenhum lugar. Todos os nossos quartos também estão cheios - disse ele.
Todavia, não posso deixar um casal simpático como vocês sair na chuva a uma da manhã. Estariam dispostos a dormir no meu quarto? O homem replicou que não gostaria de privá-lo de seu quarto, mas o recepcionista insistiu: Não se preocupe, eu me viro.
Na manhã seguinte, ao pagar a conta, o senhor disse ao rapaz: Você é o tipo de pessoa que deveria gerenciar o melhor hotel do país. Talvez um dia eu construa um para você. O rapaz olhou para o casal, e sorriu. Os três acabaram rindo muito.
Dois anos se passaram, e o rapaz já se esquecera do fato, quando recebeu uma carta daquele senhor. Nela ele relembrava a noite de tempestade, e incluía uma passagem de ida e volta à Nova Iorque.
Quando o rapaz chegou à Nova Iorque, o homem levou-o à esquina da Quinta Avenida com a Rua Trinta e Quatro, e apontou para um enorme prédio, um verdadeiro palácio de pedras avermelhadas com torres e vigias, como um castelo de fadas.
Esse é o hotel que acabei de construir para você tomar conta. - O senhor deve estar brincando - falou o jovem, sem saber se devia ou não acreditar nas palavras do homem. - Não estou brincando - respondeu o homem com um sorriso travesso. O jovem lhe perguntou: - Afinal de contas, quem é o senhor?
Meu nome é William Waldorf Astor. Estamos dando ao hotel o nome de Waldorf Astoria, e você vai ser seu primeiro gerente.
O nome do rapaz era George Boldt, e essa é a história de como ele saiu de um pequeno e medíocre hotel em Filadélfia, para tornar-se gerente do que era então o hotel mais chique e elegante do mundo.
Waldorf Astor sabia que a bondade demonstrada por ele fora espontânea, sem pensar em tirar qualquer proveito dela.
O recepcionista – que certamente recebia apenas um modesto salário – ajudara um estranho por perceber sua real necessidade. Estava cedendo seu quarto ao homem mais rico dos Estados Unidos.
Com o seu gesto e sua atitude ele ganha não apenas um cargo de alto valor financeiro como a amizade de um dos homens mais influentes nos Estados Unidos na época. Lembrei-me da frase do Mestre: “Fazei o bem e não olhai a quem”.

Se você fosse o recepcionista desse hotel, como teria atendido este homem? Reflita comigo, de mil funcionários quantos fariam como ele fez?

Pense nisso, dê o seu melhor, não importa qual trabalho você faz. Alguém com certeza irá notar.



Fonte: desconheço autoria, texto a circular na internet.

A importância da missão nas empresas

Empreendedorismo nas Escolas

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

O que não nos mata, torna-nos mais fortes





"Partilho um vídeo onde a sábia natureza nos mostra que a Vida tem riscos e que é necessário viver com eles para nos desenvolvermos e crescermos. O Homem tem a palavra para ensinar e educar os seus filhos, reduzindo-lhes assim o risco. Os Animais não têm; pelo que é a vivência do risco que permite a aprendizagem para a defesa futura. Observem o que a mãe urso fez o seu filho viver para que este compreendesse qual o comportamento de defesa (ele faz exatamente o mesmo que a mãe só não tem a sua estatura, mas quando a tiver “está pronto para a Vida”.


Aprendamos com a natureza. Arrisquemos, sejamos criativos na busca de oportunidades, na conceção de modelos de negócio e na gestão e comercialização de marcas, para que, a par com a internacionalização alavanquemos a criação futura de valor e de marcas mais fortes."


Fonte: texto retirado do site Imagens de Marca

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Workshops sobre Empreendedorismo em espaços de coworking




Incentivar o empreendedorismo no segmento feminino é o objetivo dos workshops que a Zon Empresas está a organizar nos seis espaços de coworking espalhados pelo país dinamizados por Silvia Baptista.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Discurso de Obama a estudantes



Sei que para muitos de vocês hoje é o primeiro dia de aulas, e para os que entraram para o jardim infantil, para a escola primária ou secundária, é o primeiro dia numa nova escola, por isso é compreensível que estejam um pouco nervosos.
Também deve haver alguns alunos mais velhos, contentes por saberem que já só lhes falta um ano. Mas, estejam em que ano estiverem, muitos devem ter pena por as férias de Verão terem acabado e já não poderem ficar até mais tarde na cama.

Também conheço essa sensação. Quando era miúdo, a minha família viveu alguns anos na Indonésia e a minha mãe não tinha dinheiro para me mandar para a escola onde andavam os outros miúdos americanos. Foi por isso que ela decidiu dar-me ela própria umas lições extras, segunda a sexta-feira, às 4h30 da manhã.

A ideia de me levantar àquela hora não me agradava por aí além. Adormeci muitas vezes sentado à mesa da cozinha. Mas quando eu me queixava a minha mãe respondia-me: "Olha que isto para mim também não é pêra doce, meu malandro..."

Tenho consciência de que alguns de vocês ainda estão a adaptar-se ao regresso às aulas, mas hoje estou aqui porque tenho um assunto importante a discutir convosco. Quero falar convosco da vossa educação e daquilo que se espera de vocês neste novo ano escolar.

Já fiz muitos discursos sobre educação, e falei muito de responsabilidade. Falei da responsabilidade dos vossos professores de vos motivarem, de vos fazerem ter vontade de aprender. Falei da responsabilidade dos vossos pais de vos manterem no bom caminho, de se assegurarem de que vocês fazem os trabalhos de casa e não passam o dia à frente da televisão ou a jogar com a Xbox. Falei da responsabilidade do vosso governo de estabelecer padrões elevados, de apoiar os professores e os directores das escolas e de melhorar as que não estão a funcionar bem e onde os alunos não têm as oportunidades que merecem.

No entanto, a verdade é que nem os professores e os pais mais dedicados, nem as melhores escolas do mundo são capazes do que quer que seja se vocês não assumirem as vossas responsabilidades. Se vocês não forem às aulas, não prestarem atenção a esses professores, aos vossos avós e aos outros adultos e não trabalharem duramente, como terão de fazer se quiserem ser bem sucedidos.

E hoje é nesse assunto que quero concentrar-me: na responsabilidade de cada um de vocês pela sua própria educação.

Todos vocês são bons em alguma coisa. Não há nenhum que não tenha alguma coisa a dar. E é a vocês que cabe descobrir do que se trata. É essa oportunidade que a educação vos proporciona.

Talvez tenham a capacidade de ser bons escritores - suficientemente bons para escreverem livros ou artigos para jornais -, mas se não fizerem o trabalho de Inglês podem nunca vir a sabê-lo. Talvez sejam pessoas inovadoras ou inventores - quem sabe capazes de criar o próximo iPhone ou um novo medicamento ou vacina -, mas se não fizerem o projecto de Ciências podem não vir a percebê-lo. Talvez possam vir a ser mayors ou senadores, ou juízes do Supremo Tribunal, mas se não participarem nos debates dos clubes da vossa escola podem nunca vir a sabê-lo.

No entanto, escolham o que escolherem fazer com a vossa vida, garanto-vos que não será possível a não ser que estudem. Querem ser médicos, professores ou polícias? Querem ser enfermeiros, arquitectos, advogados ou militares? Para qualquer dessas carreiras é preciso ter estudos. Não podem deixar a escola e esperar arranjar um bom emprego. Têm de trabalhar, estudar, aprender para isso.

E não é só para as vossas vidas e para o vosso futuro que isto é importante. O que vocês fizerem com os vossos estudos vai decidir nada mais nada menos que o futuro do nosso país. Aquilo que aprenderem na escola agora vai decidir se enquanto país estaremos à altura dos desafios do futuro.

Vão precisar dos conhecimentos e das competências que se aprendem e desenvolvem nas ciências e na matemática para curar doenças como o cancro e a sida e para desenvolver novas tecnologias energéticas que protejam o ambiente. Vão precisar da penetração e do sentido crítico que se desenvolvem na história e nas ciências sociais para que deixe de haver pobres e sem-abrigo, para combater o crime e a discriminação e para tornar o nosso país mais justo e mais livre. Vão precisar da criatividade e do engenho que se desenvolvem em todas as disciplinas para criar novas empresas que criem novos empregos e desenvolvam a economia.

Precisamos que todos vocês desenvolvam os vossos talentos, competências e intelectos para ajudarem a resolver os nossos problemas mais difíceis. Se não o fizerem - se abandonarem a escola -, não é só a vocês mesmos que estão a abandonar, é ao vosso país.

Eu sei que não é fácil ter bons resultados na escola. Tenho consciência de que muitos têm dificuldades na vossa vida que dificultam a tarefa de se concentrarem nos estudos. Percebo isso, e sei do que estou a falar. O meu pai deixou a nossa família quando eu tinha dois anos e eu fui criado só pela minha mãe, que teve muitas vezes dificuldade em pagar as contas e nem sempre nos conseguia dar as coisas que os outros miúdos tinham. Tive muitas vezes pena de não ter um pai na minha vida. Senti-me sozinho e tive a impressão que não me adaptava, e por isso nem sempre conseguia concentrar-me nos estudos como devia. E a minha vida podia muito bem ter dado para o torto.

Mas tive sorte. Tive muitas segundas oportunidades e consegui ir para a faculdade, estudar Direito e realizar os meus sonhos. A minha mulher, a nossa primeira-dama, Michelle Obama, tem uma história parecida com a minha. Nem o pai nem a mãe dela estudaram e não eram ricos. No entanto, trabalharam muito, e ela própria trabalhou muito para poder frequentar as melhores escolas do nosso país.

Alguns de vocês podem não ter tido estas oportunidades. Talvez não haja nas vossas vidas adultos capazes de vos dar o apoio de que precisam. Quem sabe se não há alguém desempregado e o dinheiro não chega. Pode ser que vivam num bairro pouco seguro ou os vossos amigos queiram levar-vos a fazer coisas que vocês sabem que não estão bem.

Apesar de tudo isso, as circunstâncias da vossa vida - o vosso aspecto, o sítio onde nasceram, o dinheiro que têm, os problemas da vossa família - não são desculpa para não fazerem os vossos trabalhos nem para se portarem mal. Não são desculpa para responderem mal aos vossos professores, para faltarem às aulas ou para desistirem de estudar. Não são desculpa para não estudarem.

A vossa vida actual não vai determinar forçosamente aquilo que vão ser no futuro. Ninguém escreve o vosso destino por vocês. Aqui, nos Estados Unidos, somos nós que decidimos o nosso destino. Somos nós que fazemos o nosso futuro.

E é isso que os jovens como vocês fazem todos os dias em todo o país. Jovens como Jazmin Perez, de Roma, no Texas. Quando a Jazmin foi para a escola não falava inglês. Na terra dela não havia praticamente ninguém que tivesse andado na faculdade, e o mesmo acontecia com os pais dela. No entanto, ela estudou muito, teve boas notas, ganhou uma bolsa de estudos para a Universidade de Brown, e actualmente está a estudar Saúde Pública.

Estou a pensar ainda em Andoni Schultz, de Los Altos, na Califórnia, que aos três anos descobriu que tinha um tumor cerebral. Teve de fazer imensos tratamentos e operações, uma delas que lhe afectou a memória, e por isso teve de estudar muito mais - centenas de horas a mais - que os outros. No entanto, nunca perdeu nenhum ano e agora entrou na faculdade.

E também há o caso da Shantell Steve, da minha cidade, Chicago, no Illinois. Embora tenha saltado de família adoptiva para família adoptiva nos bairros mais degradados, conseguiu arranjar emprego num centro de saúde, organizou um programa para afastar os jovens dos gangues e está prestes a acabar a escola secundária com notas excelentes e a entrar para a faculdade.

A Jazmin, o Andoni e a Shantell não são diferentes de vocês. Enfrentaram dificuldades como as vossas. Mas não desistiram. Decidiram assumir a responsabilidade pelos seus estudos e esforçaram-se por alcançar objectivos. E eu espero que vocês façam o mesmo.

É por isso que hoje me dirijo a cada um de vocês para que estabeleça os seus próprios objectivos para os seus estudos, e para que faça tudo o que for preciso para os alcançar. O vosso objectivo pode ser apenas fazer os trabalhos de casa, prestar atenção às aulas ou ler todos os dias algumas páginas de um livro. Também podem decidir participar numa actividade extracurricular, ou fazer trabalho voluntário na vossa comunidade. Talvez decidam defender miúdos que são vítimas de discriminação, por serem quem são ou pelo seu aspecto, por acreditarem, como eu acredito, que todas as crianças merecem um ambiente seguro em que possam estudar. Ou pode ser que decidam cuidar de vocês mesmos para aprenderem melhor. E é nesse sentido que espero que lavem muitas vezes as mãos e que não vão às aulas se estiverem doentes, para evitarmos que haja muitas pessoas a apanhar gripe neste Outono e neste Inverno.

Mas decidam o que decidirem gostava que se empenhassem. Que trabalhassem duramente. Eu sei que muitas vezes a televisão dá a impressão que podemos ser ricos e bem-sucedidos sem termos de trabalhar - que o vosso caminho para o sucesso passa pelo rap, pelo basquetebol ou por serem estrelas de reality shows -, mas a verdade é que isso é muito pouco provável. A verdade é que o sucesso é muito difícil. Não vão gostar de todas as disciplinas nem de todos os professores. Nem todos os trabalhos vão ser úteis para a vossa vida a curto prazo. E não vão forçosamente alcançar os vossos objectivos à primeira.

No entanto, isso pouco importa. Algumas das pessoas mais bem-sucedidas do mundo são as que sofreram mais fracassos. O primeiro livro do Harry Potter, de J. K. Rowling, foi rejeitado duas vezes antes de ser publicado. Michael Jordan foi expulso da equipa de basquetebol do liceu, perdeu centenas de jogos e falhou milhares de lançamentos ao longo da sua carreira. No entanto, uma vez disse: "Falhei muitas e muitas vezes na minha vida. E foi por isso que fui bem-sucedido."

Estas pessoas alcançaram os seus objectivos porque perceberam que não podemos deixar que os nossos fracassos nos definam - temos de permitir que eles nos ensinem as suas lições. Temos de deixar que nos mostrem o que devemos fazer de maneira diferente quando voltamos a tentar. Não é por nos metermos num sarilho que somos desordeiros. Isso só quer dizer que temos de fazer um esforço maior por nos comportarmos bem. Não é por termos uma má nota que somos estúpidos. Essa nota só quer dizer que temos de estudar mais.

Ninguém nasce bom em nada. Tornamo-nos bons graças ao nosso trabalho. Não entramos para a primeira equipa da universidade a primeira vez que praticamos um desporto. Não acertamos em todas as notas a primeira vez que cantamos uma canção. Temos de praticar. O mesmo acontece com o trabalho da escola. É possível que tenham de fazer um problema de Matemática várias vezes até acertarem, ou de ler muitas vezes um texto até o perceberem, ou de fazer um esquema várias vezes antes de poderem entregá-lo.

Não tenham medo de fazer perguntas. Não tenham medo de pedir ajuda quando precisarem. Eu todos os dias o faço. Pedir ajuda não é um sinal de fraqueza, é um sinal de força. Mostra que temos coragem de admitir que não sabemos e de aprender coisas novas. Procurem um adulto em quem confiem - um pai, um avô ou um professor ou treinador - e peçam-lhe que vos ajude.

E mesmo quando estiverem em dificuldades, mesmo quando se sentirem desencorajados e vos parecer que as outras pessoas vos abandonaram - nunca desistam de vocês mesmos. Quando desistirem de vocês mesmos é do vosso país que estão a desistir.

A história da América não é a história dos que desistiram quando as coisas se tornaram difíceis. É a das pessoas que continuaram, que insistiram, que se esforçaram mais, que amavam demasiado o seu país para não darem o seu melhor.

É a história dos estudantes que há 250 anos estavam onde vocês estão agora e fizeram uma revolução e fundaram este país. É a dos estudantes que estavam onde vocês estão há 75 anos e ultrapassaram uma depressão e ganharam uma guerra mundial, lutaram pelos direitos civis e puseram um homem na Lua. É a dos estudantes que estavam onde vocês estão há 20 anos e fundaram a Google, o Twitter e o Facebook e mudaram a maneira como comunicamos uns com os outros.

Por isso hoje quero perguntar-vos qual é o contributo que pretendem fazer. Quais são os problemas que tencionam resolver? Que descobertas pretendem fazer? Quando daqui a 20 ou a 50 ou a 100 anos um presidente vier aqui falar, que vai dizer que vocês fizeram pelo vosso país?

As vossas famílias, os vossos professores e eu estamos a fazer tudo o que podemos para assegurar que vocês têm a educação de que precisam para responder a estas perguntas. Estou a trabalhar duramente para equipar as vossas salas de aulas e pagar os vossos livros, o vosso equipamento e os computadores de que vocês precisam para estudar. E por isso espero que trabalhem a sério este ano, que se esforcem o mais possível em tudo o que fizerem. Espero grandes coisas de todos vocês. Não nos desapontem. Não desapontem as vossas famílias e o vosso país. Façam-nos sentir orgulho em vocês. Tenho a certeza que são capazes.

Fonte: texto extraído do site I Have the Power

12 dicas para usar Design Thinking no seu projecto


terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Design Thinking: nova metodologia para resolver problemas




"Antes de começar com a tecnologia, a equipa começou por compreender as pessoas e a cultura.
Então se as necessidades humanas são o ponto de partida,
o Design Thinking rapidamente passa a aprender criando."

Tim Brown


segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Os 8 segredos do sucesso




8 segredos do sucesso:
- Paixão
- Trabalho
- Excelência
- Foco
- Auto-confiança ("Push")
- Serviço
- Ideias
- Persistência

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Eu Maior



Vídeo “Eu Maior”, o primeiro projeto realizado por crowdfunding no Brasil, um filme/documentário brasileiro sobre o autoconhecimento e a busca da felicidade, inspirado pelos modelos de projetos financiados por colaboradores, decidiu pedir por pequenos valores para a sua conclusão.