quinta-feira, 29 de junho de 2017

Cadeia de favores


Dedicar-se a uma causa social é vocação de quem quer mudar a realidade.

Causas sociais são ações desenvolvidas com o fim de combater problemas existentes na sociedade.

Exemplos de causas sociais:
. Ambiente
. Crise
. Desemprego
. Pobreza
. Direitos humanos
. Direitos dos animais
. Justiça
. Terrorismo
. Violência
. Violência doméstica
. Direitos de minorias
. Apoio aos refugiados
. Igualdade de homens e mulheres
. Tráfico humano
. Equilíbrio vida familiar e profissional
. Droga
. Contrabando
. Apoio após catástrofes naturais
. Apoio após perdas materiais, emocionais, humanas
. Liberdade
. Paz
. Liberdade de expressão
. Escravatura
. Respeito pela diferença: género sexual, religião, orientação sexual, idade, etnia
. Doenças e saúde
. Vida saudável
. Desporto e exercício físico
. Educação e literacia
. Informação e partilha de experiências (associações de pais  que perderam os filhos)
. Igualdade de oportunidades
. Entretenimento / felicidade

E tu, por qual causa social lutas?

Autoria: Sandra Mendes

terça-feira, 27 de junho de 2017

Paixão, uma doce ilusão...


Paixão, uma doce ilusão...

O acaso da seta do cupido faz-nos sentir emoções fortes por uma pessoa que até aquele momento foi percepcionado como um simples ser humano mortal.

A paixão faz-nos acreditar que a outra pessoa é divina, que detém super poderes, super qualidades. Que doce ilusão.

É na relação com a outra pessoa, que a vamos conhecendo e que nos vamos conhecendo.

É na relação com a outra pessoa, que vamos construindo castelos ilusórios, ao sabor da paixão.

É na relação com a outra pessoa, que vamos projetando os nossos sonhos, os nossos desejos, as nossas necessidades na outra pessoa.

Gostamos da outra pessoa porque nos identificamos com ela. Encontramos nela, algo que é nosso: algo que gostaríamos ter sido no passado, algo que gostaríamos de ser no futuro, algo que gostávamos de ser no presente.

Até ao dia que tomamos consciência que a outra pessoa não é como imaginávamos. Afinal, o querer da outra pessoa é diferente do nosso querer. Afinal, a outra pessoa é tão humana como nós, talvez com mais defeitos que nós próprios. Sentimos-nos traídos, enganados, desiludidos.

É na relação com a outra pessoa, que vamos reconstruindo as nossas crenças, os nossos pensamentos, as nossas emoções, os nossos comportamentos. Vamos-nos transformando na relação.

É quando aceitamos relacionar-nos com a outra pessoa tal como ela é, com as suas qualidades, defeitos e tempos, que as ilusões caem por terra. Quando aceitamos a outra pessoa tal como ela é.

Quando nos aceitamos tal como somos.

Todos somos humanos, com qualidades, defeitos, ritmos, em constante evolução. Quando aceitamos isto, estamos prontos para viver relacionamentos harmoniosos.

Autoria: Sandra Mendes

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Coincidências vs. Sincronicidades


Coincidências...
Ocorrência de dois ou mais eventos sem uma relação de causa e efeito entre eles.

Exemplos de coincidências:
. No momento em que penso numa pessoa, ela telefona-me.
. Estou a falar sobre uma pessoa, e ela aparece naquele instante.
. Identifico que preciso de comprar uma flor, um Girassol para decorar a sala da minha casa. No dia seguinte, vejo um anúncio, na televisão, de uma loja que vende girassóis.
. Comento com um amigo que gostava de sentir o cheiro de um girassol. Dias depois, durante uma viagem de carro vejo um campo de girassois. Paro o carro e vou cheirar os girassóis.


Sincronicidade
...
Ocorrência de dois ou mais eventos que coincidem de uma maneira significativa para uma ou mais pessoas.

Exemplos de sincronicidades:
. Durante o dia, comento com uma amiga sobre o sonho da noite passada, no qual sonhei com um escaravelho. Na altura, olho para o chão e vejo um escaravelho no chão.
. Ao sair de casa, encontro um velho amigo de infância, que já não vejo há muitos anos. Chego ao trabalho e tomo conhecimento que tenho um novo colega de trabalho, é um velho amigo de infância, que já não vejo há muitos anos. No final do dia, ligo a televisão e vejo que um velho amigo de infância, que já não vejo há muitos anos, está a ser entrevistado no Telejornal.

Mais palavras para quê!


Se existe a possibilidade de algo correr mal, então pode correr da pior forma.

domingo, 25 de junho de 2017

sábado, 24 de junho de 2017

Assumir o comando da vida


Assumir o comando da vida.
Sentir o que há para fazer.
Fazer o que se tem de fazer.
Podes chegar a uma bifurcação ou vais para a direita ou para a esquerda.
Tens de te concentrar.
Tens de interiorizar.
É hora de subir cá acima, tentar sentir onde está a luz, e segui-la.
Esse é o comando.
Isso é que é assumir o comando da vida.
Dois caminhos.
Ter de escolher.
Aceitar escolher a luz.
Assumir o comando.
Ir lá acima sentir qual dos caminhos é de luz.
Escolher.
Seguir o seu caminho.

Fonte: livro "Luz", Alexandra Solnado

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Sofrer mais, para quê?



"O que não tem remédio, remediado está."
Sabedoria Popular



"O que não pode ser resolvido, resolvido está."
Desconheço autoria

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Pingos de Sabedoria


Troque o “não foi isso que eu disse” pelo “entenda como quiser” e seja mais feliz

Uma das atitudes mais inúteis é varrer as folhas enquanto ainda venta e, da mesma forma, não adianta tentar argumentar com quem não ouve, nem tentar agradar a todos, porque ninguém consegue ser unanimidade.

Quanto mais amadurecemos, menos nos importamos com algumas coisas que percebemos serem perda de tempo e com algumas pessoas que simplesmente não mudam por nada nem por ninguém. A maturidade traz essa calma e essa aceitação que nos tornam menos afoitos, menos nervosos, porque vamos aprendendo a dar tempo ao tempo, sem a pressa característica dos jovens que querem tudo para ontem.

Amadurecer é se importar com o que realmente importa, com quem não se nega a rever o que disse ou o que fez, enfim, com o que tem chances de trazer algum resultado. A gente se cansa de bater em tecla furada, de insistir no que não vislumbra futuro algum, de dar importância a opiniões desnecessárias de quem é especialista em perturbar ambiente e em azucrinar a paciência alheia.
Isso porque passamos a entender que cada pessoa irá conceber as coisas à sua maneira, devolvendo na medida exata do que possui dentro de si, nada mais, nada menos do que isso. De nada adianta esperar das pessoas algo além do que elas serão capazes de ofertar e, quanto mais o tempo passa, mais aptos estaremos para discernir o que cada um pode e não pode, aceitando as limitações do que nos rodeiam.

Nem todo mundo está preparado para ouvir o que temos a dizer e a receber o que temos a ofertar. Por essa razão, com o tempo passamos a direcionar nossas energias em direção a terrenos férteis, ignorando a aridez afetiva de gente egoísta, que não consegue enxergar além de suas parcas limitações. Perdemos o medo de mudar, de ousar, de deixar coisas e pessoas para trás, porque não tememos mais o erro. Errar pode ser bom, fazer bem.

Quando amadurecemos, conseguimos perceber que nem sempre estaremos certos, que nem todo mundo irá gostar de nós, que o mundo não gira ao redor de nossas cabeças. Entendemos que somos ínfimos perto da grandeza do universo, mas que nossas ações podem alcançar um número incontável de pessoas, seja quando acertamos, seja quando erramos. E isso nos habilita a exercer a empatia com mais frequência.

Uma das atitudes mais inúteis que existem é varrer as folhas enquanto ainda venta e, da mesma forma, não adianta tentar argumentar com quem não ouve, nem tentar agradar a todos, porque ninguém consegue ser unanimidade. Enfim, buscar estar bem consigo mesmo é o melhor a se fazer, visto que é assim que estaremos prontos a receber o melhor e o pior de cada um, guardando o que for útil e jogando fora o que for imprestável.

Autor: Marcel Camargo
Texto extraído daqui

Qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim




“Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, 
qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim”.
Chico Xavier

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Gerir projetos


Gerir projetos dentro de uma organização!
O gestor de projetos é a pessoa responsável pela concretização, pela realização, pela apresentação de resultados. Deve identificar, reunir e mobilizar os vários recursos para apresentarem os resultados pretendidos no prazo estabelecido.

O que pode correr mal no decorrer do projeto?
. Falta de recursos (dinheiro, pessoas, tempo, matérias-primas, organização do trabalho).
. O orçamento disponível para o projeto é insuficiente para pagar os recursos necessários.
. Surge despesas extras que comprometem o normal desenvolvimento dos trabalhos.
. Falta pessoas por doença, por despedimento.
. Cálculo errado sobre o tempo necessário para a realização das tarefas inerentes ao projeto, para a apresentação do resultado final.
. Engano ou atraso na entrega das matérias-primas.
. A meio da realização do projeto muda as regras ou procedimentos de trabalho, as diretrizes da chefia, da empresa ou do mercado.

O que fazer perante os problemas? 
Todas estas situações levam a uma reanálise do projeto e respetivos resultados.
Essa reorientação pode ser discutida e analisada junto das chefias, dos colegas de projeto, dos parceiros, dos fornecedores, dos clientes.
Através do diálogo é possível encontrar possíveis soluções e escolher a melhor solução para o problema observado.
E tu, como resolves os problemas quando estás a gerir projetos?

Autoria: Sandra Mendes

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Porque é que há tanto desemprego?


Porque é que há tanto desemprego?

Por um lado, o avanço da tecnologia tem roubado postos de trabalho.
Por outro lado aumentou o emprego que exige potencial intelectual, capacidade crítica, criatividade.

Por um lado, há muita oferta de mão de obra (psicologia, administrativos), do que procura no mercado de trabalho.
Por outro lado, há dificuldade em encontrar pessoas talentosas, competentes, criativas e comerciais, para ocupar as vagas de emprego.

Em suma, há um desajuste entre as competências disponíveis da mão de obra e as necessidades do mercado de trabalho.

Soluções:

Para a mão de obra
. Auto conhecimento sobre os talentos, dons e qualidades da mão de obra
. Reconversão profissional da mão de obra
. Rentabilizar os talentos na comunidade

Para o mercado de trabalho
. Mudar as necessidades do mercado de trabalho
. Mudar métodos e metodologias de trabalho
. Mudar a organização do trabalho nas empresas

Preciso de ganhar dinheiro!


João - Preciso de ganhar dinheiro!

Sócrates - E como pensas ganhar dinheiro?

João - Trabalhando!

Sócrates - E vais trabalhar em quê?

João - Não sei! O que é que está a dar? Quais são as profissões, onde posso ganhar dinheiro?

Sócrates - Não sei! Podes ser jogador de futebol e ganhar fortunas como o Cristiano Ronaldo!

João - Mas nem todos os jogadores ganham bem como ele!

Sócrates - Podes ser cantor e ganhar dinheiro como a Madonna ou o Tony Carreira!

João - Sim, mas nem todos os cantores ganham bem como eles!

Sócrates - Pois... Afinal o que queres fazer?

João - Quero trabalhar num emprego que ganhe bem e seja estável!

Sócrates - Mas para ganhares dinheiro, tens de oferecer um trabalho que seja percecionado como valioso para os outros. Senão, porque é que as pessoas haviam-te pagar pelo teu trabalho?

João - Pois... E como posso tornar o meu trabalho valioso?

Sócrates - Oferecendo um trabalho útil e necessário (que satisfaz as necessidades dos teus clientes: bens essenciais, segurança, status, amor e afeto, beleza, realização pessoal), diferente (mais barato, mais completo, mais quantidade, mais qualidade, personalizado ao cliente, que proporciona novas emoções, direccionado para novos nichos de mercado), inovador (diferente dos outros e da concorrência), único (ninguém consegue fazer o mesmo que tu), especial (a pessoa que recebe o teu trabalho sente-se especial).

João - Onde posso descobrir uma profissão ou um trabalho que seja útil e necessário, diferente, inovador, único, especial?

Sócrates - Em todas as profissões e em nenhuma!

João - Como assim?!

Sócrates - O segredo está em ti!

João - Explica melhor!

Sócrates - O que te move na vida? O que te apaixona? O que te emociona? O que gostas de fazer que te faz esquecer o tempo? Descobre isso, e saberás onde e como poderás ganhar dinheiro!

João - Eu gosto muito de cozinhar. Gosto muito de fazer bolos e doces.

Sócrates - Então sê o melhor pasteleiro do bairro, da cidade, do país, do mundo! E vais ver que os outros irão-te pagar de acordo com o teu trabalho! Ganharás dinheiro por causa dos benefícios do teu trabalho e não porque as pessoas querem que tu ganhes dinheiro!

Autoria: Sandra Mendes


O que te move?



O que te move? 
O que te identifica, carateriza?

Quem ama, cuida.
Quem é apaixonado pela sua profissão, brilha e destaca-se dos outros colegas de trabalho.

terça-feira, 6 de junho de 2017

Expetativas, outra vez


Expetativas, outra vez.

Já falei várias vezes sobre o tema das expetativas.
Parece que ainda não foi suficiente.
Parece que ainda tenho que aprender mais alguma coisa.

As pessoas têm necessidades, desejos, queres, exigências, reclamações e esperam que as coisas caiam do céu.

Uma pessoa pede um serviço e se a outra pessoa não consegue oferecer esse serviço tal como era idealizado pelo pedinte, o pedinte reclama.

O que deve fazer a prestadora de serviços?
. tentar tudo para prestar o serviço pretendido
. aceitar que falhou e recomendar que o pedinte procure outro prestador de serviços
. convencer o pedinte que deve aceitar o serviço oferecido inicialmente
. dar tempo ao tempo porque a vida mostrará se o serviço foi prestado corretamente.

A vida oferece-nos as pessoas, as  circunstâncias ou as situações que nos levam a evoluir espiritualmente. A vida não oferece as pessoas, as circunstâncias ou as situações que nos são mais confortáveis.

Nem sempre o que queremos, é o melhor para nós.

Aceitar isto, é o 1° passo para evoluirmos, para o nosso crescimento e desenvolvimento pessoal.

Viver para além da nossa zona de conforto leva-nos a crescer, a evoluir.

Autoria: Sandra Mendes

Qual o papel da formação prática em contexto de trabalho para a empregabilidade?

sábado, 3 de junho de 2017

Pingos de sabedoria


Quem tudo quer, tudo perde.
Quanto mais alto o voo, maior a queda.
Há que ter cuidado com os nossos desejos, sonhos.
É importante ter metas ambiciosas, mas devem estar em sintonia com a realidade onde estamos inseridos.
Se criamos ilusões, o mais provável é o surgimento da desilusão.
Passo a passo, vamos longe.
Grão a grão, enche o papo o cerrão.
Grandes metas, problemas devem ser divididos em pequenos objetivos, etapas, isto é, devem ser divididos em menores problemas. No final, será mais fácil seguir em frente e lidar com os problemas mais pequenos, bem como corrigir o nosso comportamento, a nossa atitude e rota/destino durante o nosso percurso.
Quando não sabemos para onde queremos ir, todos os caminhos são bons.
É importante experimentar, para descobrir os nossos talentos, qualidades, competências, interesses.
Conhecendo-nos bem, podemos escolher o que é melhor para nós.
Através da dor, sofrimento, medo, perdas, é possível tomarmos consciência do que é precioso para nós nesta vida.
Sabendo o que é importante e valioso para nós, podemos escolher melhor, viver simplesmente e relativar o que nos acontece de menos bom na vida.
Nunca nos conhecemos totalmente, pois a vida apresenta-se constantemente diferente: novas realidades, pessoas, culturas, circunstâncias, situações, experiências.
Fluir com a vida e confiar que a vida só nos trará as experiências que nos permitam evoluir.

Autoria: Sandra Mendes

sexta-feira, 2 de junho de 2017