quinta-feira, 28 de abril de 2016

Dar pérolas a porcos



Prato antigo Estátua Gilman Cta Sacavém Azul forte


Um desafio recusado por uma pessoa, pode ser uma oportunidade para outra.
O que uns não dão valor, outros podem achar que é algo precioso.
As nossas escolhas implicam responsabilidades, para o bem e para o mal.
Se nós conseguíssemos prever o futuro, talvez as nossas escolhas fossem diferentes! Talvez não.
Mas esta é a maravilha de viver!

Autoria: Sandra Mendes

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Regresso à escola: que lições andas aprender?



"Há muitas questões a serem esclarecidas, o céu nos traz importantes lições sobre ética, integridade e justiça. Enganos, ilusões, inversão de valores, dogmatismos, crenças rígidas e obsoletas devem ser transformadas, atualizadas. Outro grande questionamento em pauta é sobre nosso papel no mundo, nosso senso de utilidade, a forma como prestamos nossos serviços. Estamos aqui pra fazer nosso melhor, sermos úteis, contribuir? Ou para enganar, sugar, ludibriar, passar por cima de tudo e de todos visando apenas nossos próprios interesses?"

Pode ler o texto completo no Dalla Blog

Vidas Passadas



Quantas vezes nos apercebemos que temos atitudes que desconhecíamos em nós. Ficamos tristes connosco próprios. Como fomos capazes de ser assim? Temos vergonha de ser assim. Parecíamos que não estávamos em nós.
Enfim... e se descobríssemos que afinal estávamos a assumir uma personagem de vidas passadas!
O que fazer perante estas situações?
1. Ter consciência do nosso comportamento e das situações em que nos envolvemos que são recorrentes na nossa vida.
2. Aceitar a dor que as situações provocam em nós.
3. Sentir, Chorar as dores e fazer Luto, é que nos permite libertar energia negativa, densidade, para depois poder evocar energia positiva para plasmar no nosso sistema energético.
4. Limpar. Sempre que se fragilizar, sem vitimização, sem raiva,  estará a limpar Karma, a perder violência.
Texto inspirado no livro ’Conexão’ de Alexandra Solnado

terça-feira, 19 de abril de 2016

Até onde consegues ir?


Taj Mahal - Índia


Quando fazemos o melhor que podemos e conseguimos, mais não nos é exigido?!
Há que ter respeito por nós próprios e pelos outros.

Fazer mais do que podemos, permite-nos ultrapassar os nossos limites, superar-nos, conhecer-nos melhor. Podemos ir mais além do que esperávamos e do que os outros esperavam de nós próprios. 

Ser competente. A excelência do desempenho é bem vista pela própria pessoa e pelos seus pares. Quando superamos as expetativas dos outros, criamos altas expetativas nos outros sobre o nosso desempenho, mas também "habituamos" mal os outros. E quando não cumprimos o que é esperado, vem a desilusão dos outros e talvez de nós próprios. Afinal, quem nunca errou? Errar não é problemático, o problema é quando insistimos no nosso erro. Será teimosia ou estupidez?

Contudo, fazer mais do que podemos, também pode prejudicar o nosso corpo, a nossa mente, as nossas emoções, o nosso espírito/alma.

Assim, é preciso sabedoria para escolher entre:
- ir mais além, desafiar os nossos limites 
- ou ficar, esperar, reabastecer as baterias, curar o nosso corpo.

Autoria: Sandra Mendes

domingo, 10 de abril de 2016

Salsa ou Coentros?



O mundo dos oportunistas.

A todo o custo, algumas pessoas querem chegar ao topo, serem os primeiros, ir mais além do que os outros. Estas pessoas estão atentas às oportunidades. Vêem o que os outros não vêem. 

Oportunistas egoístas não partilharão as suas visões com os outros, mentirão, serão capazes de ludibriar, enganar os outros. Na essência destes comportamentos está o medo que os outros os ultrapassem, de serem rejeitados.

Mas se além de oportunistas, forem generosos, poderão conduzir os outros a destinos mais longínquos e prósperos. Ao colocar o ego de lado, poderão trazer consciência aos outros para estes últimos fazerem escolhas mais conscientes, esclarecidas e informadas. Poderão assistir e acompanhar o crescimento pessoal, profissional, espiritual dos outros.

Independentemente, se os oportunistas escolhem ser egoístas ou generosos, está nas suas mãos o que fazer com o seu dom: visão.

Por trás de um grande defeito pode estar um grande talento, depende apenas da nossa escolha, da nossa intenção de como queremos oferecer ao mundo essa caraterística pessoal.

Autoria: Sandra Mendes

sábado, 9 de abril de 2016

Quando criamos expetativas desajustadas da realidade?



Expetativa é esperar a ocorrência de algo.

Para haver uma expetativa, regra geral, tem de haver algo que a sustente. Senão é uma esperança irracional ou uma crença baseada em fé.

A expetativa costuma estar associada à possibilidade de algo que venha a ocorrer, podendo ser uma suposição mais ou menos realista. Ocorre em situações de incerteza, isto é, quando ainda não está confirmado do que irá acontecer.
Se a expetativa não se cumprir, poderemos ter uma desilusão.
Se a realidade superar as nossas expetativas, somos surpreendidos e poderemos sentir alegria pelos resultados.

Criar expetativas...

Quando esperamos algo de alguém, atribuímos aos outros o poder de estes resolverem os nossos problemas. Quando as coisas não correm como esperamos, sentimos-nos vítimas dos outros. Mas se as coisas correm bem, achamos que foi um golpe de sorte. O foco está sempre nos outros, no exterior de nós próprios, em vez de estar em nós próprios, no nosso poder interno. 

Não esperar, não ter expetativas, não tentar controlar os resultados, é a melhor atitude para se viver. É fluir com a vida, como uma folha de uma árvore bóia na água do rio e segue em direção ao mar. Vive o caminho, experiência cada momento, mas não se prende ao destino, aos resultados. O melhor está no caminho e não na chegada.

"O pior dos cegos é aquele que não quer ver."

Autoria do texto: Sandra Mendes

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Saber viver não custa



"A vida é curta.
Perdoe rapidamente.
Beije lentamente.
Ame verdadeiramente.
Ria sem controle.
E agradeça a Deus por tudo!"

Desconheço a sua autoria