quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Porque fazemos “o que fazemos”?


Numa experiência científica, um grupo de cientistas colocou cinco macacos numa jaula. No meio, uma escada e, sobre ela, um cacho de bananas.
Quando um macaco subia na escada para pegar nas bananas, os cientistas jogavam um jacto de água fria nos que estavam no chão.
Depois de certo tempo, quando um macaco ia subir a escada, os outros agarravam-no e batiam muito nele.
Algum tempo passou, e nenhum macaco se atrevia a subir a escada, apesar da tentação das bananas.
Então os cientistas substituíram um dos macacos por um novo. A primeira atitude do novo morador foi subir a escada. Mas foi retirado pelos outros, que o espancaram.
Depois de algumas surras, o novo integrante do grupo não subia mais a escada.
Um segundo foi substituído e o mesmo ocorreu — tendo o primeiro substituto participado com entusiasmo da surra ao novato.
Um terceiro foi trocado e o mesmo ocorreu. Um quarto e, por fim, o último dos veteranos foi substituído.
Os cientistas, então, ficaram com o grupo de cinco macacos que, mesmo nunca tendo tomado um banho frio, continuavam batendo naquele que tentasse pegar as bananas. Se fosse possível perguntar a algum deles por que eles batiam em quem tentasse subir a escada, com certeza a resposta seria:
Não sei, mas as coisas sempre foram assim por aqui”.

Fonte: texto extraído e adaptado de site Gambare

3 comentários:

L.O.L. disse...

Boa pergunta. Não é um assunto tão linear quanto isso. Daria pano pra mangas.

Sr. Matumbo disse...

Esse da foto é parecido comigo. ah ah ah ah. ;)

Sandra Mendes disse...

Olá L.O.L.,
Concordo plenamente.

Olá Sr. Matumbo,
Adorei o seu comentário ;)