quarta-feira, 10 de agosto de 2011

É fácil desprezar o que não se consegue conquistar...


Contam que certa raposa,
Andando muito esfaimada,
Viu roxos, maduros cachos
Pendentes de alta latada.

De bom grado os trincaria,
Mas sem lhes poder chegar,
Disse: «Estão verdes, não prestam,
Só os cães os podem tragar!»

Eis cai uma parra, quando
Prosseguia seu caminho,
E, crendo que era algum bago,
Volta depressa o focinho.

Fonte: “A Raposa e as Uvas”, fábula de Esopo, reescrita por Jean La Fontaine, numa tradução de Bocage.

2 comentários:

L.O.L. disse...

Não conhecia. Muito inspirador. :D

Sandra Mendes disse...

Obrigado. :)